América do Sul Argentina Buenos Aires

Retorno a Capital Portenha: Buenos Aires!

Por em maio 30, 2018

A primeira vez que fui a Buenos Aires foi em 2007, com cinco amigas e ficamos apenas duas noites, então foi bem corrido, apesar de termos conhecido os principais pontos turísticos, conforme relatei aqui.

Em Março/2017, surgiu uma nova oportunidade de voltar a capital portenha, pois o marido se inscreveu para seu primeiro IronMan 70.3 e a família toda tinha que estar presente para prestigiar.  Então, aproveitamos e programamos de ficar 7 noites para que pudéssemos fazer tudo com calma, ou seja, visitar a cidade, torcer pelo marido e relaxar nessas mini férias.

A quantidade de dias programada foram mais que suficientes para conhecer a cidade e ainda retornar nos locais que mais gostamos ou os que mais fizeram sucesso com a mascotinha.

Basicamente visitamos os pontos turisticos clichês e fomos um dia a Tigre, local aonde aconteceu a competição do IronMan e que fica a 1h de distância de Buenos Aires.

 

Nossa hospedagem foi em Palermo, cujo hotel escolhido foi o Dazzeler Polo, com café da manhã incluso. O hotel foi uma excelente escolha, pois era relativamente novo, os quartos bem amplos, no formato quarto e sala, com uma mesa e bancada com pia e armários, mas parecendo um flat. Excelente para famílias que, como nós, tenham um volume considerável de tralhas. No nosso caso estávamos com o carrinho de bebê e a bicicleta do marido, então foi ótimo porque o quarto mesmo não ficou atravancado de coisas. Os funcionários foram muito simpáticos e prestativos e o café da manhã não era aquela mesa gigante de fartura, porém bem gostoso e com opções suficientes de frutas, bolos, pães, geléias e sucos. Infelizmente, acabo de perceber que não tirei nenhuma foto do hotel e nem do café da manhã (falha gravíssima!).

Outra qualidade desse hotel é a localização. Na rua do hotel há uma mercearia que fica aberta até tarde para qualquer emergência, há farmácias e restaurantes. E a poucos passos é possível chegar a um supermercado enorme e também aos Bosques de Palermo, local que fomos várias vezes pela proximidade e por ter realmente nos encantado.

Em Buenos Aires não há necessidade de alugar carro, pois é possível visitar todos os pontos turísticos de metro. Além disso, não há estacionamentos fáceis e os mesmos são caros. Nós, mesmo com tantas tralhas percorremos tudo de metro e no translado entre aeroporto x hotel x aeroporto fizemos de taxi.

O único ponto negativo do metro é que ele não tem a menor acessibilidade, estávamos com carrinho de bebê e não achamos nenhum elevador, então tínhamos que tirar a mascotinha do carrinho para poder descer e subir com o carrinho. Fora isso, os vagões não possuem ar condicionado e apesar do clima agradável do lado de fora, dentro do metro era um tanto quente e dependendo do horário muito cheio.

Com relação ao aeroporto, Buenos Aires possui dois: Ezeiza e Aeroparque. O primeiro é maior, porém mais longe do centro. Já o segundo é bem menor e encontra-se praticamente dentro da cidade, sendo necessários uns 15 minutos para se chegar até o centro.

Nosso voo chegou pelo Aeroparque e foi bem tranquilo em relação a infraestrutura para comportar os passageiros. Lembro que da primeira vez que fui a Buenos Aires viajei pelo Ezeiza e quase perdi o voo por conta de distância e do trânsito de Buenos Aires. Enfim, não tem melhor ou pior, tudo depende do preço da pasagem x a logística da sua viagem.

Uma dica é que em ambos os aeroportos contam com filiais do Banco de La Nación Argentina, onde é a melhor opção para já realizar o câmbio. Alguns dizem que a cotação não compensa, mas em Buenos Aires há relatos de muitas casas de ruas com notas falsas, então nós não arriscamos e preferimos trocar ali mesmo no aeroporto e depois quando precisamos trocar novamente fomos em uma filial do Banco de La Nación Argentina no centro da cidade. Acho até que no período que viajamos (março/2017) foi a melhor cotação que encontramos. Mas sempre vale pesquisar!

TAGS
RELATED POSTS

DEIXAR COMENTÁRIO