Rio de Janeiro Visconde de Mauá

Explorando Mauá, ou melhor, Maromba e Maringá

Por em novembro 15, 2009

Aproveitamos o calor insuportável de 40 C no Rio de Janeiro e decidimos fugir para Visconde de Mauá. Algumas pessoas preferem ir no inverno, por ser mais romântico, entretanto, não existe época adequada para se visitar Mauá. Tanto no frio quanto no calor é possível fazer todos os passeios (que não são muitos), visitar as cachoeiras e principalmente relaxar. Fomos em Novembro/2009, ficamos apenas um fim de semana e foi o suficiente para conhecermos o vilarejo todo e ficar com gostinho de quero mais.

Com relação a melhor época para se visitar, só acredito que na alta temporada as cachoeiras fiquem abarrotadas de gente e a minúscula estrada que cruza a cidade fique impraticável, visto que esta pasa apenas um carro. Imagine na alta temporada, cidade lotada, várias pessoas circulando para cima e para baixo?? Deve ser um caos, mas não posso afirmar!

 

Exploramos grande parte da cidade a pé, andamos pelas ruelas de Maromba e Maringuá, parando em algumas cachoeiras até chegar no destino escolhido: Cachoeira Santa Clara. Posso dizer que foi um passeio ótimo e MUITO cansativo, pois por mais que se pareça uma cidade pequena, não tente conhecê-la toda a pé.

Bom, a primeira parada foi no poção da Moromba, como o nome já diz, uma enorme piscina natural. Linda e bem convidativa para passar o resto do dia, mergulhando e fazendo nada, porém como estava começando a pequena jornada explorando a cidade, resolvemos deixa-la para a volta. Não preciso nem dizer que me arrependo até hoje disso, né??? Pois na volta estava exausta e só pensava em um bom banho e cama!  Essa cachoeira, poção da Moromba, tem uma pedra de 8m de altura, cujas pessoas pulam dentro da piscina formada por pedras. Além disso, é uma das cachoeiras mais tranqüilas e de fácil acesso, então para aproveitar bastante sem confusão, aconselho chegar bem cedo.
 

Próxima parada foi na cachoeira Véu da Noiva, onde para chegar foi preciso passar por uma pequena trilha e atravessar um riacho, mas vale a visita. É linda, bem pequena e como não tem muita infraestrutura fica praticamente deserta, e com todo esse cenário, não agüentei e mergulhei!!! E mesmo com todo calor, a água é bem gelada.

Depois de todo o perrengue para colocar novamente as roupas, segui rumo a Cachoeira Santa Clara.  Mesmo com mapa na mão, indicação pelas ruas, essa cachoeira é bem complicada para achá-la, pois as placas são confusas, o que gerou algumas idas e vindas. Mas, vou explicar aqui a forma mais fácil de encontrar essa cachoeira que é entrando no Vale de Santa Clara e procurando o restaurante, Truta Rosa, uma das indicações para se provar o prato chefe da região, Truta. Esse restaurante muito bonito e tem um trutário, onde é possível apreciar as trutas em vários tanques. Além do trutário, tem também um pesque e pague. Infelizmente não aproveitamos a culinária deste restaurante, pois desinformados, não levamos muito (nenhum) dinheiro e este restaurante, assim como a maioria dos restaurantes de Maua não aceitavam cartão de credito.
 
Finalmente, após subir uma trilha, descer alguns degraus e quase morrer exausta: Eis a Cachoeira de Santa Clara, composta por um enorme paredão, onde algumas pessoas praticam rapel. Na verdade, haviam várias crianças de uma excursão praticando esse esporte. Esse foi um dos motivos que demos meia volta e fomos procurar o restaurante mais próximo para sentar e degustar uma boa refeição depois de tanta caminhada.
Como próximo as cachoeiras não existem muitas opções de restaurantes, ainda mais algum que aceitasse cartão de crédito, refizemos nossa caminhada até Maromba e escolhemos Paladar da Montanha, aceitava cartão e era um dos mais cheios (o que indica, na minha opinião que é bom) e o cheiro estava convidativo. A comida era perfeita, deliciosa em grande quantidade e barata. Comemos um prato de meia truta e a conta com bebidas foi algo em torno de R$ 45,00. Recomendo muito a truta grelhada!

A noite, não podiamos ficar na pousada e decidimos explorar a cidade em busca de um foundee, porém dessa vez, fomos de carro até o centro. Afinal, já haviamos andado 7h durante o dia!!!!
Chegando na cidade, estacionamos e atravessamos uma pequena ponte para o lado de Maringá, onde existe um pólo gastronômico com várias opções, e lá, encontramos o famoso restaurante Maison de la Foundee. Fomos super bem atendidos, o garçom era muito atencioso e começou a conversar sem que pudessemos ler o cardápio com calma; e digamos que foi ótimo, porque nem perguntamos se aceitava cartão já que na porta havia todas as bandeiras de cartões de crédito coladas. No entanto, o simpático garçom comenta que aquele era o primeiro dia com luz, após várias tempestades recentes e que por isso o restaurante estava sem telefone. Imediatamente pensei: “Sem telefone??!!!”, “Será que o cartão não está funcionando?”. E como tinha que ter uma história, o restaurante não estava aceitando cartão de crédito. Com isso, levantamos e seguimos a saga pela busca de um restaurante que aceitasse cartão de crédito e com foundee.
Até que  encontramos um restaurante, chamado Borbulhas, muito bem recomendado por sites e outras midias. E como não podia ser diferente, o atendimento foi simplesmente espetacular. Para começar, o desejo era de comer foundee de carne e no cardápio não tinha essa opção, então, questionamos ao garçom e para nossa surpresa o dono do restaurante fez um foundee de carne com uma variedade de 10 molhos e uma batata rostie exclusivamente para a gente e ainda escolheu uma trilha sonora em nossa homenagem!!!! É ou não é para se apaixonar por essa cidade?
O ambiente desse restaurante é uma graça e tem uma sala com uma coleção de disco de vinis, onde os clientes podem escolher suas próprias músicas. Recomendo muito esse lugar e com certeza quando voltar a Mauá, também irei voltar nesse restaurante.
 Endereço: Alameda Gastronômica Tia Sofia – Vila de Maringá MG
( O Lado mineiro de Visconde de Mauá )
TAGS
RELATED POSTS
2 Comentários
  1. Avatar
    Responder

    Josiane Santos

    agosto 18, 2013

    Oi Alê!
    Adorei o post e seu blog, prometo ler outros posts e te acompanhar!
    Tenho um humilde blog parecido com o seu, mas sou bem menos viajada que você! rsrsrs
    Estou indo (morrer de frio) em Maromba nesse final de semana e estava atrás de referências do que fazer por lá.
    Seu post ajudou apesar de ser de 2009, pois acredito que a natureza não tenha mudado de lugar! rs
    Abraços!

  2. Avatar
    Responder

    Alê

    agosto 18, 2013

    Oi Josiane! Que bom que gostou do blog. A ideia é deixar registrado minha experiência e principalmente compartilhar as dicas com vocês.
    Quando voltar de Mauá passa aqui para deixar mais dicas!! Aproveite bastante!! Beijos

DEIXAR COMENTÁRIO